Autodisciplina Insuficiente

“Escalar colinas difíceis requer um ritmo lento no inicio”.

(William Shakespeare)

 

 

Na terapia cognitivo comportamental é feita a psicoeducação, trata-se de uma orientação ensinada e guiada para construção de comportamentos adaptativos diante de situações difíceis para o paciente.

Autodisciplina é a ação programa e padronizada para atingir um objetivo que deseja. Autodisciplina insuficiente é a ação que não foi programa e nem padronizada que reforça uma crença de incapacidade.

 

escalada01

 

Destaco neste texto, que situações difíceis são provenientes de pensamentos disfuncionais que geram assim emoções de desconforto. Cada emoção é liderada por um pensamento, por uma interpretação que fazemos da situação. Imagine uma pessoa apresentando esses pensamentos disfuncionais:

  • “Não sou capaz de me forçar a ter disciplina suficiente para cumprir tarefas rotineiras ou aborrecidas.”,
  • “Se não consegue atingir um objetivo, fico facilmente frustrado(a) e desisto.”,
  • “Tenho muita dificuldade em abdicar de uma recompensa ou prazer imediato em favor de um objetivo em longo prazo.”

Essa pessoa acredita que tem autodisciplina insuficiente. Assim sente tristeza e angústia, tem comportamentos procrastinadores e podem apresentar sintomas de desânimo. Imagino o sofrimento dessa pessoa! Sente que a vida segue e não consegue progredir e nem produzir.

Ao longo da vida ouvimos falar bastante numa frase: “Nunca deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”. Podemos iniciar nossa reflexão com algumas perguntas:

  • Que atividades programou para fazer no dia de hoje?
  • Essas atividades estão adequadas na administração do tempo?
  • Quanto tempo levará para fazer cada atividade?
  • Será que estabeleceu muitas atividades para o dia de hoje?
  • O que seria mais adequado nessa situação?
  • O que seria possível fazer no dia de hoje?
  • O que pode acontecer para não cumprir com o que programou?
  • Seu estado de saúde pode interferir para que não cumpra com essas atividades?

Vamos considerar algumas estratégias importantes:

  1. Não precisa ser perfeito – o nível de exigência e perfeccionismo não ajuda, sendo necessário rever e questionar o pensamento de exigência que estamos apresentando na situação.
  2. O que eu posso fazer de bom agora mesmo? – estabelecer a prioridade e fazer planejamento das atividades diárias, pode ajudar a não ativar sentimentos de angústia e ansiedade.
  3. Como posso facilitar as coisas? – não adianta se cobrar um resultado de uma prática ou conhecimento que não foi treinado antes, vamos descomplicar definido todas etapas das atividades antes.
  4. Processo e progresso – a partir das etapas das atividades, poderá estabelecer os prazos. Metas é o objetivo com prazos. Faça um acordo favorável que recompensa gostaria de oferecer a você mesmo, após conclusão da tarefa desafiadora.

A terapia de esquemas é aplicada na psicoterapia cognitivo comportamental criando alternativas adequadas de comportamentos e experiências. Para isso analisamos a necessidade básica de toda criança sobre limites prejudicados. Se a necessidade básica não for suprida na infância pode haver dificuldades na fase adulta como baixo desempenho profissional, baixa autoestima e dependência.

Na vida sempre existe saídas. Sofremos por não as encontrar. A Supere Psicologia sempre está ao seu lado.

Alessandro Rocha

Psicoterapeuta Cognitivo Comportamental

Mestre em Educação para Ensino em Saúde

alessandro@superepsicologia.com.br

Sem Comentários


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*