Feliz Dia dos Namorados

12 de junho – Feliz Dia dos Namorados!

 

Entre príncipes e princesas…

Andando pela rua, mergulhada em meus pensamentos, algo me chamou atenção em um restaurante.

Letras vermelhas, enormes, coladas no vidro que delimitava o espaço, avistei a palavra “AMOR” entre outros componentes coloridos, rosas e frufrus que enfeitavam a cena.

Ora, o que será que está havendo? Alguma festa? Pensei, esforçando-me em espiar mais atentamente…

O restaurante movimentava-se com o ir e vir de clientes e garçons.

Nada de especial. Estranhei.

Conversando com a minha curiosidade, lembrei que estávamos na primeira semana de junho.

Ah… agora entendi… estamos na época dos enamorados!!

Continuei a caminhada pela calçada enquanto, em minha mente, a imagem do “AMOR” insistia em se mostrar. Deixei fluir…

Então, me vi voltando no tempo, rolando, num filme lá pra trás…

As cenas se desenrolavam vivas e coloridas sobre o “AMOR” que dançava em memórias diversas.

Aos poucos, vi surgindo a garotinha sonhadora, que passeava levemente entre os contos de fadas, vivendo estórias com o seu príncipe amado, tão belo e protetor, a enfrentar terríveis dragões, salvando-a de perigos, levando-a pelas mãos, entre flores silvestres, a ouvir o trinado dos pássaros sob um maravilhoso pôr do sol…

“Ah (suspiro)… Quando eu crescer…. não vejo a hora…“ dizia enquanto caminhava pelas florestas mágicas dos seus sentimentos de menina…

De repente, um tropeço me trouxe à visão dos meus pés que caminhavam rápidos, retornando à realidade da calçada da Vida…

Aterrissando no hoje, aqui estamos, em um mundo globalizado, observando homens e mulheres, repletos de expectativas e anseios, em busca de um relacionamento afetivo sonhado.

Podemos ainda, constatar que as características do parceiro ideal, mesmo sofrendo mudanças, continua basicamente a mesma: encontrar aquele ser perfeito, que preencha todas as minhas necessidades, de forma plena e que nunca mude, trazendo felicidade à minha vida.

Buscamos então alguém para nos sentirmos amados, protegidos, fortalecidos, que nos traga ternura, humor e doces sentimentos em atendimento às nossas necessidades não satisfeitas.

Interessante perceber que a busca de uma pessoa idealizada nos ajuda a entender um pouco mais sobre nós mesmos, sobre o que ansiamos, desejamos e carecemos. Por outro lado, também pode nos dificultar o estabelecimento de uma relação mais profunda quando nos mantemos nessa procura ininterrupta, numa visão muito superficial do que é Ser humano.

arte_dia_dos_namorados

A questão é, será que alguém tem condições de atender sempre e totalmente as expectativas do seu companheiro?

Nos primeiros momentos, apaixonados, acreditamos ter encontrado quem tanto desejamos: um grande e maravilhoso romance, que nos supra em todos os sentidos.

Nessa busca, encontramos, “por acaso”, esse alguém maravilhoso, digno de ser colocado em letras garrafais, em vermelho, no “facebook” da Vida: meu grande “AMOR”!!!

Ficamos encantados, enamorados!!

E a vida segue seu ritmo…

Eis que então, tropeços da rotina nos tira do encantamento. O romance vive dificuldades, frustrações, perdas, e se torna muitas vezes, eivado de sentimentos doloridos e dolorosos. E começamos a enxergar a realidade em que o outro não nos atende plenamente.

Perdidos , muitas vezes, numa gama de sentimentos contraditórios, surgem a frustração e a tristeza.

“Mais uma situação na coleção dos meus enganos…” muito dizem.

Diante disso, podemos entrar no modo vítima ou acionar a raiva, a mágoa, ou ainda, correr atrás, sofregamente, em busca de outros corações que possam nos atender…

Nesse desencanto, ficamos presos à desilusão, entrando, muitas vezes, no jogo de boicotes em relação ao que o outro precisa ou deseja, despencando os dois numa rotina de brigas, discussões e mágoas, geradoras de insatisfação e infelicidade.

E o que fazer? Quem poderá nos salvar?

É um importante momento para agirmos em prol da relação, de forma a procurar ajustar-se à realidade, revendo expectativas e posicionamentos na rotina diária, visando o objetivo comum.

Passamos, assim, da fase da paixão à fase do amor maduro, numa relação mais profunda e real onde as experiências compartilhadas e as mudanças são encaradas como fases de um processo.

É ainda, a oportunidade ideal para que os acordos sejam revistos, e situações delicadas sejam trabalhadas e encaradas como um aprendizado perante a Vida, tanto no âmbito individual como no âmbito do casal, com importantes repercussões em diversas áreas da vida pessoal, do casal e da família.

Nos momentos de crise, é imprescindível atentar para os sentimentos que permeiam as negociações, investindo, assim numa relação empática, respeitosa e de compreensão, onde parceiros se dão apoio, analisam a relação, considerando a individualidade de cada um.

É ocasião de se optar por um novo fazer, considerando não só o que se sente, mas também em que se acredita. É hora de, novamente, se escolherem sob um olhar mais maduro, profundo e amplo, considerando essa nova fase, que com o tempo e os acontecimentos, os levará a novas descobertas e prazeres.

Para que isso ocorra, precisarão utilizar-se do lado saudável de cada um, assim como ao que é do casal em si, valorizar e validar a construção da relação, os acertos realizados e sentimentos que dão suporte a essa fase.

É nesse momento também que o processo de autoconhecimento precisa e deve ser ativado. As carências e dificuldades emocionais precisam ser enfrentadas e consideradas, recebendo a devida e cuidadosa atenção.

As dificuldades podem surgir nesse processo e, se necessário, os envolvidos devem se abrir à ajuda externa, confiável e segura, como por exemplo, à psicoterapia individual e/ou à terapia de casal.

Salientamos que, para que a melhoria da qualidade da relação realmente aconteça é imprescindível que haja receptividade por parte do casal. É preciso estar aberto à percepção de si no cotidiano da relação, mas também aberto a compreender o outro, a escutá-lo em seus sentimentos, percebendo suas carências, validando suas dores e valorizando seus pontos fortes.

Enfim, os dois praticando a mudança, enxergando não só a si, mas também o que o outro deseja e o que o faz feliz, beneficiará a relação em sua qualidade promovendo bem-estar recíproco, com repercussões diversas na vida de cada um.

E, assim vamos em frente… na escola da Vida Real…

Entre príncipes e princesas…!

Feliz dia dos enamorados!

A Supere Psicologia sempre está do seu lado!

 

Christiane Aussourd

christianeaussourd@gmail.com

Psicoterapia Transpessoal

Terapia de Brainspotting e EMDR

Terapia Floral

Especialização em Terapia de Família e Casal

Sem Comentários


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*