TERAPIA DE FAMÍLIA

TERAPIA DE FAMÍLIA

Todo sistema familiar requer amor, respeito e união.

A compreensão do sistema familiar ocorre a partir da dinâmica grupal de seus membros, desde a forma como interagem até a maneira como trocam afeto e carinho. Nesse processo de interação entre pais e filhos, avós e netos, irmãos e irmãs percebe-se solidariedade e hostilidade, concordância e discordância, tensão e alívio. Com tudo um dos desafios envolve as relações de poder na família. Essa análise contempla estudo científico sobre a dinâmica do grupo familiar, a partir dos fenômenos que surgem nas relações interpessoais.

Cada membro da família apresenta na sua própria história de vida, algumas necessidades que podem ter sido supridas ou não durante seu desenvolvimento psicológico e emocional. Em caso dessas necessidades não terem sido supridas, as pessoas podem apresentar comportamentos de busca de satisfação, de incompletude e de superação.

arte_terapia

Na terapia cognitivo comportamental, o psicoterapeuta avalia esta dinâmica de necessidades e entendimento destes comportamentos mal-adaptativos de cada membro da família, e principalmente da relação afetiva conjugal. O modelo cognitivo de cada membro constitui-se de crenças nucleares, comandos ou regras mentais e pensamentos automáticos. As crenças nucleares são idéias e conceitos mais internalizados acerca de si mesmo, das pessoas e do mundo. Os pressupostos básicos são regras, padrões, premissas e atitudes que guiam as condutas humanas, e os pensamentos automáticos são as cognições mais acessíveis. Esses conceitos são ferramentas fundamentais para o processo terapêutico, tanto individual como para casais.

A terapia cognitivo comportamental com casais, com base na premissa de que a inter-relação entre cognição, emoção, comportamento e sintomas estão implicada no funcionamento do ser humano e, consequentemente, em seus relacionamentos, visa identificar e intervir nas situações que causam o desconforto de uma das partes ou de ambas.

Na terapia cognitivo comportamental pode ser aplicada em situações de déficits de comunicação, resolução de problemas, disfunções sexuais e reestruturação de crenças, comportamentos e pensamentos que geram uma desarmonia conjugal (Piccoloto et al, 2007). Os esquemas que os cônjuges trazem para a relação fazem com que cada individuo desenvolva pensamentos funcionais ou disfuncionais para o atual relacionamento.

Os casais ingressam em seus relacionamentos com crenças e expectativas diversas, sendo estas influenciadas por uma história da cultural pessoal, que pode ser conceitualizada no aspecto racial, social, econômico, religioso e valores do papel sexual (Dattiliio, 2011).

Diversos casais buscam terapia por acumularem desavenças relacionadas à ineficácia na solução de seus conflitos diários, acreditando que são incapazes de solucioná-los sozinhos, gerando uma desmotivação (Salkovskis, 1997; Barlow, 1999).

Uma das demandas dos casais na busca pela terapia está relacionada às diferenças entre os cônjuges, como a tentativa de transformar o outro, gerando desarmonia na união e insatisfação. Os cônjuges passam a não reconhecer a dedicação do outro, deixando de suprir as novas e diferentes necessidades cotidianas e de reforçar positivamente. A satisfação conjugal está relacionada à frequência e troca de reforços, tanto positivos, negativos e/ou punitivos (Beck, 1995). O terapeuta da TCC dirige sessão para que haja maior tolerância entre o casal e que abandonem a luta reconhecendo as diferenças. A Supere Psicologia estará sempre do seu lado.

Alessandro Rocha

Psicoterapeuta Cognitivo Comportamental

Mestre em Educação para Ensino em Saúde

alessandropsi@yahoo.com.br / alessandro@superepsicologia.com.br

www.superepsicologia.com.br

Piccoloto, Luciane., Piccoloto, Neri Maurício.e Wainer, Ricardo (org.). Tópicos Especiais em terapia cognitivo comportamental: O desafio da escolha e a arte de conviver, algumas considerações sobre terapia cognitivo comportamental com casais. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007. P. 259-290.

Beck, Aaron T.. Para Além do Amor: como os casais podem superar os desentendimentos, resolver os conflitos e encontrar uma solução para os problemas de relacionamento através da terapia cognitiva. Rio de Janeiro. Record, 1995.

Dattilio, Frank M.. Manual de Terapia Cognitivo Comportamental para casais e famílias. São Paulo: Artmed, 2011.

Barlow, D. H. Manual clínico dos transtornos psicológicos. Porto Alegre: Artmed, 1999.

Salkovskis, Paul M. Terapia cognitivo comportamental para problemas psiquiátricos: um guia prático. Saõ Paulo: Martins Fontes, 1997.

Sem Comentários


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*